quinta-feira, 29 de maio de 2008

Caca de cachorro - de novo!

Aconteceu ontem na hora do almoço.
Estacionei meu carro. Do outro lado da rua, vinha um moço bonito correndo, sem camisa, todo pimpão, com seu labrador preto. De repente ele parou e o cachorro defecou, no meio do asfalto.
Aquilo mais parecia sujeira de cavalo, não de um simples totó. Quando o bicho acabou, o cidadão foi saindo de fininho, como se nada tivesse acontecido. Não resisti. Seguiu-se o diálogo:
EU: - O sr. vai deixar essa sujeira aí?
ELE: - Eu esqueci o saquinho. Ele só faz uma vez por dia.
EU: - É, e pelo visto, quando faz, capricha!
ELE: - Eu sou veterinário.
EU: - Ah é? Então mais um motivo pro sr. ter um pouco mais de consciência sobre a limpeza da nossa cidade.
ELE: - Você tem um saquinho aí pra me dar?
Por coincidência, eu tinha acabado de voltar das compras. Tirei do carro uma sacolinha e entreguei a ele.
O rapaz agradeceu. Eu agradeci. Ele recolheu. Agradeceu de novo. Agradeci de volta. Ele seguiu o seu caminho. E vivemos felizes para sempre. Eu, o cachorro, ele e a cidade.

2 comentários:

Jornalista Azarado disse...

hehehehehehe... Grande Paula!!! ontem, quando eu estava indo para a faculdade, lembrei da sua critica sobre esse assunto: eu quase que tenho que andar pela avenida, pois tinha uns 4 ou 5 cocôs de cachorro... Acho que uma "gangue canina" resolveu "aliviar" bem juntinhos, estreitando as relações, reforçando os laços de amizade... POr pouco não tenho que ir pra rua por causa das "marquinhas"...

Paula Calloni disse...

Pois é, tem gente que acha completamente normal isso! Daqui a pouco vai ter gente despejando fralda suja na calçada. Afinal, é tudo cocô, qual é o problema não é mesmo? Viva a natureza! srsrrsrsrs.

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida