quinta-feira, 10 de julho de 2008

Por uma vida mais simples e mais divertida

Às vezes me assusto com minhas próprias impressões acerca do quanto o mundo está mudando. Não gosto de pensar que a mudança é pra pior, porque fico parecendo uma velha tia rabugenta que repete sempre: "No meu tempo, era melhor..."
Mas venhamos e convenhamos: certa falta de mordomia e facilidades tornavam a vida mais divertida.
Por exemplo: antigamente a gente não podia baixar músicas pela Internet porque nem sonhávamos em ter um computador em casa. Então, ou a gente ficava torcendo pra música de que gostávamos tocasse no rádio ou íamos à loja de discos - no meu caso, a Hi-Fi - pra comprar o LP (ou "bolachão"). Duro era quando não sabíamos o nome da música, ou da banda, ou do cantor e nem o nome do LP com "aquela" música.
Perdi a conta de quantos cabeludos balconistas da Hi-Fi (lindos, por sinal) tiveram que me aturar cantarolando desafinadamente a música que eu queria encontrar. Era cômico. E às vezes eu ainda imitava a guitarra. "Sabe, moço, aí entra uma guitarra assim aguda, téim téim téim téeeeeeim". Que mico. Mas eu dava risada comigo mesma, aliás, como sempre fiz.
E num tempo em que não havia TV a cabo, ou você morava numa região em que sua antena de TV funcionasse, ou tinha que se contentar em ver dois ou três canais que pegassem bem, ou outros com imagens duplas e fantasmagóricas. Claro que não se dispensava o velho Bombril na ponta da antena. E sempre tinha um cristo que subia no telhado pra arrumar a bendita e ficava berrando lá de cima: "Tá bom? E agora? Tava melhor antes ou agora que eu virei a antena pra direita?". Ah e a gente ainda elegia qual membro da família se levantaria para trocar de canal ou aumentar o volume. Sim, controle remoto não existia nem na nossa imaginação.
Por último, o celular. Bem menos gente se irritava num cinema ou num teatro como hoje, quando sempre há um sem-noção tagarelando nessa praga. E era emocionante ter que procurar um orelhão que funcionasse para aquela ligação de emergência, quando estávamos fora de casa.
A vida sem tanta tecnologia era mais barata, mais simples, mais divertida. Sem querer ser rabugenta, mas já sendo...no meu tempo, era muito melhor.

3 comentários:

Jornalista Azarado disse...

hehehehehe.. fiquei imaginando essa cena de você cantando na loja.. apesar de não te conhecer pessoalmente nem nunca ter ouvido sua voz, mas deve ter sido bem engraçado.. rsrsrs... Mas sei lá se seria mais divertido.. Eu gosto da mordomia de ter minahs musicas preferidas comigo onde eu estiver com meu MP3.. Ainda mais por que hoje, cd original sai na faixa de R$30,00... Haja $$ pra comprar... heheheh...

Quanto ao celular, falta bom senso né... Tem um sistema que deixa o celular sem som, só pra vibrar.. E tem um botãozinho que é só apetar e o celular desliga.. Depois do evento, é só apertar o botãozinho de novo e ele liga com tudo o que você tinha guardado lá.. pena que muitas pessoas não sabem usar isso e incomodam os outros (apesar de que a moda é incomodar os outros ouvindo musica no onibus...)

Mas imagino que deviam ser bons tempos onde o contato pessoal era mais importante do que o "virtual/digital"..

Bjuus Paula!!

Susanna Martins disse...

hahahaha........ Eu fiquei aqui imaginando vc na loja de discos... aff.. mto cômico meesmo!!!
Sabe o avanço da tecnologia foi tudo mesmo, é tudo mais prático mais fácil... mas também tem mta coisa ruim, isso nós já sabemos!!
Mas sabe, fico admirada ouvindo meus pais contar história do tempo deles, das brincadeiras, das festas e etc. Nossa, é maravilhoso ver os olhinhos deles brilhando, e ai eu fico pensando, o que vou contar para os meus filhos?!! Por e-mail?! Com certeza foram bons tempos, hein?!!
Estava pensando em guardas os cd's, mp4 e outros aparelhos para mostrar para os meus filhos, porque dq uns dias isso nem vai existir!!

Ainda bem q vc voltou... nuss.. e co uma vontade de escrever, hein?!! Texto brilhante!!! Não some mais não!!
Beijoooos

Andre LF disse...

hehehe...acredita, eu já fiz isso, mas num orelhão, chovendo, e nem era pra mim, mas pra um amigo..só fiz porque esse era amigo mesmo, hahaha...agora, só rindo mesmo!!Ah, a música, claro, o cara ouviu na rádio e queria descobrir o nome da dita cuja, que por acaso é "Whutering heights", dos anos 70.Se não me engano, Kate Bush cantava...agora, imagine eu fazendo aquele gemidinho agudo dela, pra quem conhece, heheheheeh..coisas da vida, rs

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida