sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Bebês jogados por aí

Eu sei que os casos que chegam às TVs são apenas uma parcela da realidade.
Mas só nessa semana, já foram uns 3, de bebês abandonados. Todos recém-nascidos, com o cordão umbilical. Uma sobre uma lápide de cemitério, outra num banheiro público, ao lado de uma privada e outro dentro de uma sacola, no jardim de um condomínio, o corpinho já coberto por formigas.
Será só falta de informação dessas mães? Será só desespero? Duvido. Pra mim é uma falta de humanidade, uma falta de compaixão extrema. Se não têm nem para com os próprios bebês, imagino com outros seres humanos.
Não se pode condenar só as mães. E os pais? Cadê os marmanjos? Estas mães (?), que abandonam as crianças ao relento, sem alimentação, em locais insalúbres, merecem a cadeia e os progenitores também, por absoluta falta de responsabilidade. Mas a mídia não fala nos homens, nos pais. Parece que filho a mulher só faz sozinha!
Entrevistei certa vez o dr. Yassim Issa, juiz do Fórum de Infância e Juventude de Santo Amaro. Segundo ele, a lei é muito clara: mães que entregam seus filhos ao Estado, seja nos hospitais ou nos juizados, ou mesmo deixam em qualquer local onde a criança tenha garantia de ser bem cuidada, não serão punidas. Isto não é crime!
Espero que a mídia informe mais sobre isso...
Controle de natalidade em primeiro lugar, paternidade responsável em segundo e cadeia, pra quem larga bebês indefesos à própria sorte, num país onde tantos querem adotar e não conseguem.

Nenhum comentário:

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida