terça-feira, 23 de setembro de 2008

Eleições: manipulação máxima

Tenho evitado tocar no assunto Eleições aqui no blog. Mas não posso deixar de dar meus pitacos no que vejo nessas eleições. Mais precisamente na propaganda dos candidatos.
Marta Suplicy: queria saber se a propaganda dela visa expor idéias ou estimular uma luta de classes. O que diabos significa "O metrô não é só pra eles, é pra nós também"? Quem seriam "eles"? O metrô não é interesse de toda a população, ricos, classe média ou pobres? Ou será que os ricos não pegam metrô quando estão em Nova Iorque ou em Paris?
O que São Paulo menos precisa, no atual estado de coisas, é de divisão e preconceito. Marta estimula o preconceito ao contrário. No rádio, predomina locução de sotaque nordestino. Mas, curiosamente, na propaganda de TV o povo que aparece não é o povo de São Paulo. Gente loira, ou de cabelo lisinho, ou o vovô bem vestido...um mais moreninho aqui, outro alí, só pra disfarçar. Quanta hipocrisia.
E a Soninha? Soninha até que é gente boa. Já estive com ela em algumas ocasiões, é uma pessoa coerente. Mas não diz a que veio, na sua propaganda. Não fala de uma proposta sequer. Assim fica difícil, por mais boa vontade que eu tenha.
Kassab é de um apelo rasteiro que beira o insuportável. Ao prometer que não haverá aumento de ônibus, se aproxima do velho político que faz comícios num coreto em frente à igreja. Seis meses sem aumento de ônibus no próximo ano? Preparem-se para uma greve daquelas!
E aquele fulano que diz: "Tô contigo, Maluf!" ?
Quanta antipatia...asqueroso...ele que vá ficar com o Maluf mesmo. A gente fornece o travesseiro e o cobertor, se ele quiser.
Ah, em quem eu vou votar? Meu voto é secreto, gente. Isso é democracia!
PS: vejo hoje no jornal fotos dos candidatos que ontem, "Dia sem carro" (humpf...) andaram de ônibus pela cidade. Que engraçado...pela foto se percebe que pegaram ônibus novinhos, limpinhos, fora do horário de pico.
Pura coincidência, com certeza.

2 comentários:

Jornalista Azarado disse...

Claro que eles pegaram ônibus fora do horário de pico. Até parece que eles se arriscariam a serem esmagados, pisoteados, "cotovelados", empurrados, puxados... Tudo isso segurando uma bolsa, morrendo de calor por causa da lotação do tranporte público, sem nem conseguir se mexer direito, aturando um motorista que pensa que é o Ayrton Senna... No dia que eles fizerem isso, choverá dinheiro...

E essa idéia de dia sem carro é de quem não usa o transporte coletivo diariamente... não tenho dúvidas, pois se usasse, pensaria em algo mais inteligente do que aumentar a quantidade de pessoas dividindo 1m²...

Raio X disse...

Olá Paula,
Você não me conhece, não estou no seu rol de blogs, não estou em listagem alguma dos blogs mais conhecidos aliás...mas a gente vai navegando, olhando o blog de um, de outro e acaba chegando em coisas e pessoas interessantes, gente com "recheio e conteúdo" digamos assim. Gostei muito dos seus textos, especialmente aquele que fala das "vagabundas" donas de casa...é perfeito. Me identifiquei muito, e compactuo de praticamente tudo o que disse. Quando quiser faça uma visita ao meu blog. Ainda não está bonitinho como o seu e tantos outros, porque não sou blogueira de anos a fio;
uma hora dessas consigo dar uma radicalizada no visual dele...mas o que mais me importa mesmo, é escrever. Um abraço, parabéns pelas idéias de modo geral.

Lucianna Lima
infinidadedepalavras.blogspot.com

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida