quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Mutirão do lixo eletrônico

Acontece HOJE em todo o estado de São Paulo o "Mutirão do Lixo Eletrônico".
A ação pretende conscientizar as pessoas e oferecer alternativas para o descarte de celulares, baterias e pilhas. Com certeza vc que lê esse blog sabe que não podemos jogar estes materiais no meio do lixo orgânico, nem mesmo nos recicláveis.
Há empresas que recolhem, de modo que não prejudique o meio ambiente.
No site acima está a relação completa dos postos. E se na sua cidade não houver esse tipo de coleta, exija, reclame - mas pelo amor à sua mãezinha...não jogue no lixo comum.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Teatro: "Confissões das mulheres de 30"


Onde: Teatro Folha
Até 14 de dezembro - NÃO PERCA


Atenção: esta não é uma crítica isenta. Vou só elogiar a peça porque eu gostei demais, ora essa, o que posso fazer?
No sábado fui assistir a "Confissões das Mulheres de Trinta". Achei melhor ir rapidinho, depois explico o porquê.
Eu queria muito ver a peça porque sou tiete, fã incondicional da série “Mothern”, da GNT e as atrizes Camila Raffanti, Melissa Vettore e Juliana Araripe protagonizam o espetáculo. Só faltou Fernanda D’Umbra, mas ela é a diretora. E dá uma canja com sua voz linda, anunciando os patrocinadores antes do início.
A princípio achei o tempo da peça meio curto: 60 minutos – e a gente sabe que ingresso de teatro não costuma ser barato. Depois, achei que seriam 3 mulheres sentadas num banco o tempo todo, falando mal de homens...aí pensei melhor e saquei que 60 minutos dava e sobrava.
Primeiro engano: não era um banco, era uma mesa. E o que elas fazem naquela mesa...
Segundo engano, ledo engano: a peça não é “parada”: as meninas de 30 não param um minuto. Aliás, a Sociedade de Ortopedia adverte: não tente imitar a “metralhadora giratória” de Camila Raffanti.
O cenário é o palco. E a mesa. E só.
Se você precisar prestar atenção a alguma coisa mais além da beleza das atrizes e suas excelentes interpretações, repare no figurino, de Marina Reis. Talvez eu estivesse com um chopp a menos, mas em certo momento vi uma saia se transformar num lago cinza e triste ao pés de Melissa Vettore...
Ainda o figurino: legging e blusa de alcinhas, pretas, de base, mil peças versáteis por cima a cada entrada. Faixas, flores, detalhes que dão a cara a cada personagem, que são muitas: tem a casada, a ficante, a recém-divorciada, a solteirona convicta e a outra, nem tanto assim.
Mesmo que as belas incorporem várias mulheres com um talento de tirar o fôlego, achei que haviam traços predominantes em cada atriz. Juliana me pareceu o tipo sedutora quase o tempo todo, Melissa é de uma graciosidade ligada no 220 e Camila, com suas expressões faciais impagáveis, não deixa ninguém sério por mais de 10 minutos.
A fórmula básica é muito dinamismo e um quê de transtorno -bipolar. Você ri na maior parte do tempo e fica com a pulga atrás da orelha em outros.
Sem querer comparar, mas exatamente como em “Mothern”, nós mulheres nos vemos um pouquinho em cada personagem. E isso dá um alívio que vocês nem imaginam!...
Detenha-se na cena final. O posicionamento de palco das três, uma imagem congelada, a luz perfeita...Uma fotografia no tempo, inesquecível...
Foi um belo presente de aniversário, dado pelo meu amigo-amado-amante. Seguindo o conselho ao vivo das "confessoras", não vou fazer muita propaganda porque o dito cujo é um cavalheiro, espécie atualmente em franca extinção no universo masculino.
Irônica e poeticamente, foi a última peça dos meus trinta...fiz quarenta anos ontem. Buáaaaaaaa!!!!!!!!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O show da tragédia

Não sei o que me deixa mais perplexa nessa tragédia da Eloá: rever as cenas de gente tirando foto do cadáver com um celular, no velório, ou ver o sorriso dos que receberam os órgãos doados, dizendo que "foi um presente de aniversário".
Ok. Doar os órgãos é uma atitude nobre da família e eu sou a favor de qualquer campanha que se faça nesse sentido.
Receber um órgão depois de anos na fila de espera dos transplantes também é uma benção.
Mas um pouco mais de discrição não faz mal a ninguém. Não se pode deixar de lembrar que a doação ocorreu porque uma moça perdeu a vida, em mais um desvario de violência. Há uma mãe tentando se acostumar a olhar para o quarto agora silencioso, da filha.
Especialistas dizem que deve-se evitar a divulgação dos nomes dos receptores. Isso pode criar embaraços e problemas psicológicos entre os envolvidos. Acreditem, há gente capaz até de tirar proveito financeiro da situação. E criar um vínculo pseudo-familiar entre doador e transplantado é inevitável, precipitado e nem sempre saudável.
E as fotos tiradas com o celular no velório, por quem estava na fila? Inacreditável. Típica atitude de desrespeito à situação, ao falecido e à família. Falta de educação básica e consequência da espetacularização da tragédia. A agonia do cativeiro e a morte da moça foram transformados em show, como é praxe na imprensa brasileira. Tirar foto de um cadáver prova que se esteve presente a parte do "espetáculo" ?
Qualquer pessoa com QI de ostra conclui que metade daquela gente toda estava lá por pura curiosidade mórbida.
Eu me pergunto o porquê de ninguém ter impedido que se tirassem fotos, o que deveria ser restrito aos jornalistas e olhe lá.
Quanta falta de bom senso e de compaixão.

domingo, 19 de outubro de 2008

Tragédia no ABC

Eu sabia que ia acabar assim.
Prezado sr. comandante da operação militar: meus pêsames.
O sr. afirmou ter temido críticas, justificando assim a decisão de não atirar no sequestrador.
Ele está vivo.
E Eloá está morta.
Durma com uma crítica dessas, agora. E tenha um feliz Natal, se for capaz.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Polícia para quem precisa...

Foi de cair o queixo o confronto entre policiais civis e militares ontem em São Paulo. Que coisa feia! Se nem eles se entendem, o que será de nós?
Há várias questões envolvidas e óbvio que existe fumaça política...Paulinho da Força tinha sumido e de repente aparece no meio da confusão, megafone em punho, botando lenha na fogueira.
Serra leva a coisa toda no banho-maria há meses. Precisava deixar chegar nesse ponto?
Afinal o que são 15% de aumento pra uma categoria que rala pra caramba, ganha mal, não é bem-equipada e ainda assim trabalha exemplarmente? Ou alguém esqueceu o belo trabalho dos peritos no caso Isabela Nardoni?
Colocar questões políticas acima de um DIREITO de todos nós, a garantia de segurança, é muita incompetência, falta de visão e de comprometimento público.
Tanto os salários da Polícia Civil quanto os da Militar são uma merreca.
Eu acho que o povo devia entrar na briga também e botar o Serra na parede.
Afinal, o interesse é nosso! E não demora muito, a bandidagem vai dar um jeito de se aproveitar da situação.
Socoooorroooooooooooo!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Abrace e Grão da vida: festa da solidariedade!


Acontece no clube "A Hebraica", na próxima sexta, 17 de outubro, às 19:30, a décima "Festa da Primavera", em prol das entidades Abrace (Associação Brasileira para a Criança e o Adolescente Especial) e Grão da Vida.
O bingo inclui excelentes prêmios, como eletro-eletrônicos e pacotes turísticos, além de jantar em sistema de buffet.
Todos os anos a festa é um sucesso e por isso mesmo é bom correr para conseguir seu convite. Cada 10 convites dão direito a uma mesa reservada.
A Abrace atende jovens e adultos especiais, ajudando-os a desenvolver autonomia e talentos vários, através da música, capoeira, oficina de reciclagem de papel, teatro etc. Uma entidade séria, que nasceu do sonho de um grupo de pais e hoje dá exemplo na formação dos jovens que surpreendem pela força de vontade e pela capacidade de superar seus próprios limites.
Já a Grão da Vida, atende 147 crianças carentes de 0 a 6 anos, na região de Interlagos, na zona sul de São Paulo.
Compareça, prestigie o evento. Uma parte da arrecadação com os convites também é destinada às duas instituições.
Valor do convite: R$ 80,00
Informações e reservas: (11) 5093-2311 e 5096-3894

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Sálvia, a droga da moda

Tenho ouvido por aí um papo sobre "fumar Sálvia".
Não não, nada a ver com a Sálvia usada pra temperar peixe. Eu, pelo menos, nunca deparei com nenhum chef doidão em restaurante chique.
A nova velha droga, é uma planta da mesma família, só que alucinógena, chamada "Sálvia Divinorum". Mas é uma velha droga por ser usada há centenas de anos por tribos indígenas, juntamente com outras plantas como o Kratom e o Ayhauasca.
Por enquanto não é proibida no Brasil e em várias partes do mundo, porque não há estudos conclusivos sobre os efeitos e o nível de dependência que pode causar.
E por isso mesmo, é facilmente adquirida em sites brasileiros e gringos, em forma de extrato, elixir, folhas etc.
A moçada vive descobrindo novas formas de "sair do ar", cheirando isso, mascando aquilo...eterna fuga, nem sabem do quê. E os espertinhos que vendem chegam sempre com um papo de que "Ah, é natural, usada pelos índios em rituais xamânicos".
Ora essa, quer participar de um ritual xamânico? Se enfie numa tribo do Alto Xingú, fume o que que quiser lá, no lugar apropriado e na hora certa, de acordo com a cultura local. Aproveite para fazer algum trabalho voluntário em prol dos índios.
Mas enfiar uma substância qualquer, goela abaixo, no seu corpo, fora de contexto, com um bando de aproveitadores em volta rindo de você, só pode ser maluquice.
Me deprime a quantidade de vídeos no Youtube com gente "viajando" com a Sálvia. Embora seus defensores enfatizem a "extrema sensação de prazer e as elevações espirituais que ela propicia", nestes vídeos, na maioria, o que se vê é o olhar de pânico do coitado que ingeriu a droga e um evidente esgar de arrependimento.
Perda total de coordenação motora, falta de noção espacial e o olhar sinistro de pavor. Não há nada de inofensivo na Sálvia Divinorum. É só isso que percebo. Como neste vídeo.
É a isso que nossos filhos, sobrinhos, gente que a gente ama e que pode estar em apuros neste exato momento, estão expostos.
Uma substância alucinógena NUNCA é inofensiva. Há relatos terríveis sobre a Sálvia e seus efeitos.
É deprimente o nível de degradação a que um ser humano chega, a falta de respeito e compaixão pelo outro, a ponto de filma-lo, sobre efeito de drogas e colocar isso no Youtube, sem respeito pela vítima, sem respeito pela família que nem sabe o que está acontecendo.
E deplorável, é a atitude de quem está ao lado de um drogado e dá risada com isso; não faz nada. É conivente. É cúmplice de um suicídio lento e gradual, voluntário ou não, que é o mergulho nas drogas.
Isto é ser um bom amigo?
Hoje estive num pronto-socorro e de repente entrou um rapaz na maca, em quadro de overdose. Sozinho. Claro, com certeza os covardes que o acompanhavam na hora da besteira saíram correndo. Meu coração ficou moído de dor.
Como a vida humana é valiosa; como cada vida é sagrada e precisa ser preservada, a qualquer custo. Muitas vezes, está nas SUAS mãos fazer alguma coisa! Seja dizendo NÃO quando te oferecerem, seja impedindo que alguém ao seu lado use.
Se vc tem um amigo usando drogas, ajude-o. Não ria, porque NÃO TEM A MENOR GRAÇA. Não filme pra todo mundo ver. Não fique calado. Comunique à família ou a alguém de confiança, antes que seja tarde e que você se sinta, para sempre, um COVARDE.
Mesmo que isso custe sua amizade com a vítima. Ainda que ele ou ela nunca mais olhe pra você, que o considere um delator, saiba que você SIM é um verdadeiro amigo, por salvar uma vida. Uma vida tão importante e preciosa quanto a sua.
Não seja conivente com esse primeiro mergulho no inferno.
Que pode ser também, o último.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Esta garrafa vai parar no Tietê!


Não consigo parar de pensar em preservação do meio-ambiente nem mesmo durante os momentos de lazer.
A foto acima foi tirada durante um passeio ao jardim do Museu do Ipiranga, aqui em São Paulo. Momentos antes, no Aquário São Paulo, próximo dalí, um painel sobre o Rio Tietê dava conta de que 35% da sujeira do rio vem do lixo jogado no chão, nas ruas, que vai parar nas bocas de lobo, entupindo-as e acabando no pobre rio que já foi palco de competições de natação, remo e pescarias.
Hoje, mergulhadores profissionais ganham até 3 mil reais para limpar o fundo...entre sofás, pneus velhos e até cadáveres, estes homens corajosos têm que usar roupas especiais de mergulho, hermeticamente vedadas, ante ao risco da água poluída.
Na década de 90 a rádio Eldorado encabeçou memorável campanha de despoluição do rio.
Com a politicagem demagógica de sempre, pouco se fez de concreto e o Estado praticamente abandonou o projeto.
Agora, a rádio novamente "mergulha" na questão - não no Tietê, que eles não são loucos...A série de reportagens se chama "Expedição Tietê Séc.XXI".
Ouça aqui uma das reportagens de Flavio Perez, que tem percorrido o rio, de Sampa até a divisa com o Mato Grosso. E que pelos sons de água e cachoeiras, além do belo texto, acaba nos ajudando a sonhar e a querer lutar pela despoluição do NOSSO Tietê.
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida