domingo, 19 de outubro de 2008

Tragédia no ABC

Eu sabia que ia acabar assim.
Prezado sr. comandante da operação militar: meus pêsames.
O sr. afirmou ter temido críticas, justificando assim a decisão de não atirar no sequestrador.
Ele está vivo.
E Eloá está morta.
Durma com uma crítica dessas, agora. E tenha um feliz Natal, se for capaz.

Um comentário:

Jornalista Azarado disse...

Estava na cara que foi uma estratégia errada.. Deixaram aquele descontrolado egoísta possessivo conduzir as negociações, não cansaram ele (luz, comida, sono) e, se fosse eu no comando da operação, teria mandado matar, sim, esse imbecil. Prefiro um criminoso ensadecido morto do que duas inocentes mortas... Claro que o melhor seria que essa situação não existisse, ou, como sempre exisitirá, que ao menos o criminoso é quem fosse punido, não a vítima... Simples (e tirano?) assim.

E os Direitos Humanos que se danem protegendo criminosos... hunf... (desculpe o palavreado)

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida