terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Mais cidadania em 2009

Foi surpresa hoje. Recebi convite para a posse de um vereador no qual sequer votei.
Não, ele não mandou o e-mail aleatoriamente. Tive chance de entrevista-lo, para uma matéria que eu estava fazendo e ultimamente temos tido algum contato via Orkut - essa ferramenta tão mal-falada, mas que funciona exatamente como nas relações "ao vivo": você escolhe quem pode ser seu amigo e ponto final.
E aí veio esse convite. Dia 1 de janeiro de 2009, às 15 horas, na Câmara Municipal de São Paulo - viaduto Jacareí, 100. E quero aproveitar este nosso espaço para convidá-lo a participar da cerimônia.
Às 16, é a vez de Kassab.
Bom, eu sei que todo mundo vai pensar: "Posse de vereador e de prefeito, que coisa chata...aquele cerimonial, aquele blá-blá-blá".
Querem saber? Deve ser mesmo.
Mas a vida não é feita só de picolés na beira da praia, é?
E a nossa cidade estará nas mãos desses caras a partir do ano que vem, não é?
Então, temos o direito e o dever de acompanhar cada passo deles. E começar pelo começo é pura lógica.
Nós brasileiros somos PÉSSIMOS cidadãos. Não cobramos nossos direitos, não acompanhamos quem elegemos. Não para tirar vantagens pessoais, mas para ver o TODO se dar bem...para ver a cidade melhorar, afinal, todos nós, eu, você e eles (os políticos) vivemos na mesma São Paulo, ou na mesma Campinas, ou na mesma Porto Alegre, ou na mesma Serra Negra, ou na mesma Salvador, enfim...
Primeiro mundo só funciona porque quem mora lá é cidadão de primeira!
Acho muito legal a campanha da CBN, "Adote um vereador".
É assim: se o seu candidato a vereador foi eleito, beleza; você não faz mais do que a sua obrigação acompanhando o que ele faz, fiscalizando e lotando a caixa postal dele de e-mails, cobrando o que ele prometeu, cobrando coerência, ou dando sugestões.
Mas se o seu candidato não foi eleito, ADOTE UM VEREADOR. Escolha um eleito, veja se as propostas batem com o que você pensa e COLE nele!!!!!!!!!
Basicamente é isso.
Feliz vereança pra todos vocês.
Sejamos cidadãos de fato em 2009! Afinal, você não nasceu só pra pagar impostos, embora nos tenham feito acreditar nisso até hoje.
Faça sua grana render. Pro bem de todos nós.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Flavia - aniversário triste


No dia 16 de dezembro, minha amiga Flavia fez 21 anos.
Mas não foi um aniversário como aqueles que toda mãe tem o prazer de comemorar com a filha.
Porque Flavinha não pôde comer um pedaço de bolo. Não pôde apagar velhinhas. Não pôde sorrir abrindo um presente.
Porque Flavia está em coma vigil.
Convido você a visitar o blog Flavia vivendo em coma, que a mãe dela, Odele, fez para divulgar sua campanha por justiça. No dia 1 de janeiro, ele completa 2 anos na web e já teve até agora 120 mil visitantes. Entre, leia, informe-se, repasse. E se tiver algum amigo do amigo do amigo que seja jornalista, sugira como pauta.
Há algum tempo eu tento ajudar Odele a divulgar sua luta, mas minhas ferramentas são poucas. Sou uma jornalista free-lancer e nem sempre é fácil convencer a mídia de que um assunto como esse, tão difícil, rende uma boa pauta - o alerta para o perigo dos ralos e bombas de sucção das piscinas ou a necessidade de o brasileiro acordar e lutar, berrar pelos seus direitos, como essa brava mãe tem feito.
Gente, o verão tá chegando. Depois que eu soube do caso de Odele, risquei do meu roteiro de férias todo e qualquer parque aquático, porque como podemos saber se há fiscalização no quesito segurança destes verdadeiros tanques da morte?
Tenho tentado apelar aos meus colegas jornalistas e não vou desistir, apesar das minhas dificuldades pessoais e profissionais.
Como Odele disse-me certa vez: "Com todo o meu sofrimento, e de Flavia, eu não desisto."
Então quem sou eu pra jogar a toalha??
Felizmente há bons jornalistas, gente com "feeling" pra farejar uma boa matéria. Este é o caso dos editores e do repórter Raul Dias Filho, do programa "Domingo Espetacular" - rede Record, que fizeram uma bela reportagem. Você assiste clicando AQUI.
Um detalhe do destino: Odele faz aniversário no mesmo dia de Flavia. Considera que a filha foi seu melhor presente.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

"Eles não gostam de mim..."


O helicóptero se aproximou da área devastada pelas chuvas e não permitia o resgate de animais.
Mas uma adolescente de 16 anos recusou-se a embarcar, se não pudesse levar sua poodle, Melk. Tanto chorou, que o soldado das Forças Armadas cedeu.
Cena de filme? Não, aconteceu em Ilhota, SC.
Não bastasse tanta gente sem casa, sem roupa, sem nada que restasse de suas vidas, para recomeça-las, a área onde a tragédia aconteceu tem inúmeros animais soterrados, mortos, outros perdidos de seus donos e outros ainda fiéis, como sempre, às famílias. Porém sem alimento, sem remédios, sem vacinas, sem água potável.
Eu tenho um cão salsicha, Spock e uma gatinha siamesa, chamada Jujú. Por isso se eu estivesse no lugar daquela adolescente, o soldado teria muito trabalho pra me convencer a deixar meus bichos pra trás. Eu amo esses dois seres inocentes e cuido deles como se fossem meus filhos.
Outro dia recebi um casal que não gosta de animais.
Meu cão é manso e muito obediente. Minha gata é quieta, mas nada a prende em lugar algum - afinal, é uma gata! Ambos são amigos e brincam o dia inteiro, contrariando o que reza a lenda sobre cães e gatos.
O tal homem a certa altura disse: "Não entendo essa sua devoção ao bichos. Daqui a pouco essa casa vira um zoológico".
Irônica, fiz questão de dizer: "Ah sim, eu ainda quero ter uma Calopsita. E em breve, vou criar galinhas no jardim e um bode, também, que me dê leite fresco todas as manhãs". Ele ficou mudo, me olhando, incrédulo.
Levantei pra fazer um café. Spock, o cão, me seguiu. Ele tem olhos tão, mas tão expressivos, que parece falar por eles e eu entendo tudo, ou pelo menos, acho que entendo. "Esse cara não gosta de mim. Nem da Jujú" - ele "disse". Afaguei suas longas orelhas e pisquei para aqueles olhinhos pidões. Dei-lhe um ossinho e ele foi pra caminha dele. Coloquei uma vassoura de cabeça pra baixo atrás da porta da cozinha - sabia que isso afasta visitas indesejáveis?
Ofereci o café e Jujú pulou no meu colo. Ela é muito carinhosa e lambeu minha bochecha.
A tal mulher disse: "Credo...você sabia que os bichos passam um monte de doenças?"
Respondi: "E vc tem idéia de quantas bactérias e vírus você tem na sua boca e nos seus intestinos?"
O amor dos animais é algo que só vivenciamos ao ter um. Quem não teve, não tem e não quer ter, jamais entenderá do que estou falando. Bicho dá trabalho, mas dá alegria em dobro. E como aprendemos com eles...ah, isso não tem preço.
É direito de uma pessoa não ter animais, desde que os respeite e não os maltrate.
E eu estava dentro da minha casa. Portanto se eu quiser ter um bode no meu jardim, quem pode me impedir? Contanto que ele não coma a cerca do vizinho nem acerte o traseiro de ninguém, é meu direito ter um animal, vacinado, cuidado e permitido pelo Ibama.
É claro que eu não vou ter um bode. Mas quando alguém começa a me tirar do sério, costumo partir pra ironia. É a senha, a deixa pra pessoa parar. Mas ela não parou...e depois do café, disparou essa: "Como você aguenta esse cachorro passeando pelos tapetes, pulando nas suas pernas? Você devia deixar seu cachorro preso no quintal, numa coleira".
Olhei pra ela bem profundamente e a frase veio, inteira: "Ora essa, por quê seu marido não prende você numa coleira, bem curta, no seu quintal?"
Não...eu não disse isso. Mas quase. Só que eu sou educada.
Tanto quanto o Spock e a Jujú.

AH - você pode doar material e ração para os animais de Santa Catarina nestes locais:
Casa do Consolador - rua Guapiaçu, 75 - www.casadoconsolador.com.br
Pet Center Marginal - Av. Presidente Castelo Branco, Marginal Tietê, 1795www.petcentermarginal.com.br
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida