quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

"Eles não gostam de mim..."


O helicóptero se aproximou da área devastada pelas chuvas e não permitia o resgate de animais.
Mas uma adolescente de 16 anos recusou-se a embarcar, se não pudesse levar sua poodle, Melk. Tanto chorou, que o soldado das Forças Armadas cedeu.
Cena de filme? Não, aconteceu em Ilhota, SC.
Não bastasse tanta gente sem casa, sem roupa, sem nada que restasse de suas vidas, para recomeça-las, a área onde a tragédia aconteceu tem inúmeros animais soterrados, mortos, outros perdidos de seus donos e outros ainda fiéis, como sempre, às famílias. Porém sem alimento, sem remédios, sem vacinas, sem água potável.
Eu tenho um cão salsicha, Spock e uma gatinha siamesa, chamada Jujú. Por isso se eu estivesse no lugar daquela adolescente, o soldado teria muito trabalho pra me convencer a deixar meus bichos pra trás. Eu amo esses dois seres inocentes e cuido deles como se fossem meus filhos.
Outro dia recebi um casal que não gosta de animais.
Meu cão é manso e muito obediente. Minha gata é quieta, mas nada a prende em lugar algum - afinal, é uma gata! Ambos são amigos e brincam o dia inteiro, contrariando o que reza a lenda sobre cães e gatos.
O tal homem a certa altura disse: "Não entendo essa sua devoção ao bichos. Daqui a pouco essa casa vira um zoológico".
Irônica, fiz questão de dizer: "Ah sim, eu ainda quero ter uma Calopsita. E em breve, vou criar galinhas no jardim e um bode, também, que me dê leite fresco todas as manhãs". Ele ficou mudo, me olhando, incrédulo.
Levantei pra fazer um café. Spock, o cão, me seguiu. Ele tem olhos tão, mas tão expressivos, que parece falar por eles e eu entendo tudo, ou pelo menos, acho que entendo. "Esse cara não gosta de mim. Nem da Jujú" - ele "disse". Afaguei suas longas orelhas e pisquei para aqueles olhinhos pidões. Dei-lhe um ossinho e ele foi pra caminha dele. Coloquei uma vassoura de cabeça pra baixo atrás da porta da cozinha - sabia que isso afasta visitas indesejáveis?
Ofereci o café e Jujú pulou no meu colo. Ela é muito carinhosa e lambeu minha bochecha.
A tal mulher disse: "Credo...você sabia que os bichos passam um monte de doenças?"
Respondi: "E vc tem idéia de quantas bactérias e vírus você tem na sua boca e nos seus intestinos?"
O amor dos animais é algo que só vivenciamos ao ter um. Quem não teve, não tem e não quer ter, jamais entenderá do que estou falando. Bicho dá trabalho, mas dá alegria em dobro. E como aprendemos com eles...ah, isso não tem preço.
É direito de uma pessoa não ter animais, desde que os respeite e não os maltrate.
E eu estava dentro da minha casa. Portanto se eu quiser ter um bode no meu jardim, quem pode me impedir? Contanto que ele não coma a cerca do vizinho nem acerte o traseiro de ninguém, é meu direito ter um animal, vacinado, cuidado e permitido pelo Ibama.
É claro que eu não vou ter um bode. Mas quando alguém começa a me tirar do sério, costumo partir pra ironia. É a senha, a deixa pra pessoa parar. Mas ela não parou...e depois do café, disparou essa: "Como você aguenta esse cachorro passeando pelos tapetes, pulando nas suas pernas? Você devia deixar seu cachorro preso no quintal, numa coleira".
Olhei pra ela bem profundamente e a frase veio, inteira: "Ora essa, por quê seu marido não prende você numa coleira, bem curta, no seu quintal?"
Não...eu não disse isso. Mas quase. Só que eu sou educada.
Tanto quanto o Spock e a Jujú.

AH - você pode doar material e ração para os animais de Santa Catarina nestes locais:
Casa do Consolador - rua Guapiaçu, 75 - www.casadoconsolador.com.br
Pet Center Marginal - Av. Presidente Castelo Branco, Marginal Tietê, 1795www.petcentermarginal.com.br

3 comentários:

Patrícia disse...

Caraca, Pá... Coitadinho do Spock e da Jujú... acho que eles não merecem que estas pessoas entrem na casa DELES (afinal eles é que moram com vcs...). Deve ser um sinal para que vc selecione as pessoas que serão convidadas a entrar no seu SAGRADO LAR... Qto ao casal??? Sinto pela ignorancia, pela falta de amor... talvez sejam tão pobres, tão pobres que tenham apenas dinheiro...

Jornalista Azarado disse...

Os animaizinhos são demais!! Tenho duas cachorras em casa, uma cocker e uma vira-lata... Como elas me dão alegrias... São tão divertidas, brincalhonas, estabanadas... E a cocker me ajudou tanto a passar por uma fase bem complicada, apenas pedindo minha atenção... Assim como você e a gartoa, eu não deixaria minhas cachorras.... Ou saímos nós três, ou ficamos os três...

E é uma maldade deixar o cão preso no quintal.. Deixa ele brincar, andar pelo quintal... Deixá-lo preso pode transformá-lo em um animal violento, agressivo.. E cá entre nós, ninguém gosta de ficar acorrentado...

Bjus Paula!!

Andre LF disse...

Triste ver como pessoas são tão insensíveis a esses serezinhos lindos, que são muito mais leais e amigos que muito dito humano por aí, né? KKKKKK, adorei as ironias, hahahaa..e viva o bode, ora bolas!!!!

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida