sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Falta

Eu perdi meu pai no dia 2 de janeiro de 2009.
Por isso quando alguém me deseja "Feliz 2009", sinceramente, tenho vontade de voar no pescoço. Embora ninguém tenha obrigação de saber que PERDI MEU PAI.
Mas quem tem culpa? Quem pode saber?
Não será um ano feliz, pois no momento não posso conceber um dia sequer de minha vida sem meu pai.
No entanto sou mãe de dois filhos maravilhosos. Um marido igualmente perfeito.
Não liguem...qualquer hora escrevo qualquer coisa mais genial sobre o assunto para o meu blog, tão pouco lido.
No momento só quero lembrar.
Quero lembrar dele, o nonno, como chamam os vovôs italianos, colhendo os ovinhos de codorna que criávamos no quintal. Do dia em que me ensinou a pescar. Das noites em que me pegava no colo e me fazia bater em todos os bolsos do paletó, porque num deles tinha escondido um chocolate pra mim.
E eu sempre achava.
E eu tenho uma memória absurda e em plenos 40 anos de idade, lembro dele me carregando no colo quando eu dormia e me botando na cama. Isso é bom ou é ruim? Preciosa lembrança??? ÒBVIO que sim.
E quando trazia pizza embrulhada em papel rosa e enrolada com barbante, num tempo em que não tinha pizza delivery???
Dos dias em que chegava em casa pra almoçar e pendurava o boné no cabideiro da minha sala.
Dos dias em que trocava a torneira ou uma fechadura porque o fazia melhor do que o genro, que também gostava muito dele.
Meu pai. Meu tudo. O que eu achava imortal. Como todas as filhas acham que o pai é.
Pai...sei lá.
Uma dia o blog vai ser só seu.
E pra vcs, meus gatos pingados leitores fiéis. Só uma palavra: saudade. Fui.

4 comentários:

Carla disse...

A falta que as pessoas especiais fazem em nossa vida é grande demais e a saudade parece sangrar o coração, mas temos que seguir em frente amiga, de cabeça erguida e coração aberto. O tempo é um bom amigo nessas horas e junto com a fé (Deus sabe o que faz) tudo acaba resolvendo, ou melhor, acabamos aprendendo a viver com esta saudade. Pode ter certeza que um dia você vai superar a dor e terá somente as LINDAS lembranças em seu coração sem o sofrimento.... Viver este momento de dor faz parte do processo, chorar alivia a alma... Se cuide e conte com os que te amam.

DonaMaria disse...

Meus sinceros sentimentos. Sei bem como vc está se sentindo...perdí o meu aos 23 anos de idade. Já se passaram 35 anos, oque significa que é maior o tempo sem ele do que o que vivemos juntos. Mas a fé nos ajuda a aceitar que Deus sabe oque faz, o tempo se encarrega de aliviar a dor...
abraços

Janete disse...

Oi Paula, lagrimas... tambem perdi meu pai em 2005. Doi! Sei que doi! Sinto muita saudade... Olha, forca, viu?
Janete

Eliane Cristina disse...

Amiga, a saudade é eterna e dolorida, porém só sentimos saudades daqueles que são especiais...

Não se sinta só pq sabes que não estás...beijos!!!

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida