sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

As peruas da fila dupla


Porta de escola: caos todos os dias


Começa mais um ano escolar e com ele, entram em cena novamente as peruas da fila dupla.
Explico: todos os dias busco meus filhos na escola onde estudam, em Moema.
Há anos cumpro essa rotina, mas ainda não me conformei com a falta de sensatez e civilidade de certos pais, que pagam por uma educação particular, mas na frente dos próprios filhos, dão péssimos exemplos de cidadania e civilidade.
A escola deles provê um esquema de fila de carros, autorizada pela CET e que dá a volta na quadra. Seguranças se comunicam por rádio. Anunciamos os nomes das crianças e a saída deles é autorizada, assim que nos aproximamos do portão principal.
Isto não significa que eu deva parar EM FRENTE ao tal portão, porque meus filhos são capazes de andar um metro e meio ou dois pra chegar ao carro.
Mas alguns pais, mães, principalmente, não pensam assim. Muitas vezes os filhos já são marmanjos de pernas peludas, adolescentes, mas os pais insistem em parar seus carrões último tipo em frente ao portão, geralmente em fila dupla, atravancando todo o trânsito já complicado de Moema. Grosseiramente berram o nome do filho, não sem antes arremessar suas bitucas de cigarro na calçada. São as "peruas" da filha dupla: cabelo tingido, blusa de oncinha, brincos dourados enormes, óculos escuros idem. O carro quase sempre importado. Nada contra a ostentação...não é problema meu. Mas parece que a falta de educação tem sempre a mesma imagem peruesca, comprovando a tese de que educação nem sempre tem a ver com classe social.
Sou turrona: na minha frente, ninguém fura fila. Não deixo mesmo. Não acho justo.
A CET não dá refresco. Mas já que não pode ajudar mais, poderia ao menos não atrapalhar. No segundo semestre de 2008, ampliou as áreas onde é proibido estacionar e nós, pais que agimos direito, ficamos sem alternativa. E dá-lhe fila.
Tenho sugerido à escola que chame estes tipos de pais para uma conversa.
Afinal, civilidade vem de berço, como dizia a minha avó. Se as tais "peruas" continuam assim, certamente seus "peruzinhos" seguirão o mesmo caminho.

3 comentários:

Odele Souza disse...

Oi Paula,

Posso imaginar sua irritação com o caos causado pelos carros na porta da escola.

Obrigada pelo vídeo de Flavia aqui em seu blog. E o layout do blog está muito bonito.

Beijos.

Carla disse...

Presencio isto e muito mais diariamente amiga!
Acho que deveríamos lançar uma campanha educacional nos portões das escolas!!! Muito sem noção certos pais ...
abç
Carla

Andre LF disse...

O que impressiona é que pessoas que assim agem parecem desqualificar inteirmamente a presença de outros seres no mesmo planeta!! Como se o mundo fosse seu palco. Lei e choque de ordem neles!!! Aqui no RJ o prefeito e o governador(não sou partidário de nenhum deles, mas aplaudo o que vem pra bem)estão botando pra quebrar na desordem urbana, tô gostando. Nunca seremos um país de respeito se não aprendermos que lei é pra todos, não só pros outros!

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida