sexta-feira, 27 de março de 2009

Os Titãs é que estavam certos


Não tenho procuração para defender a empresária Eliana Tranchesi, da Daslu.
Provavelmente meu Corsa velho sequer seria aceito pelos manobristas do templo da ostentação, aqui em São Paulo.
Para mim, é indiferente. Nunca liguei para roupas de marca e produtos fúteis.
Mas a declaração infeliz do procurador Matheus Baraldi, do Ministério Público, após a prisão da empresária, já diz tudo: "É possível perceber que os tribunais já estão preparados hoje para recusar a tese de que organização criminosa é coisa de mal-criado com fuzil na mão, num topo de favela". Tá chamando favelado de mal-criado? De bandido? Ops...Aliás é até feio e politicamente incorreto dizer "favela".
O bonitinho agora é dizer "comunidade". Sr. Baraldi, dá pra ler o Estadão? Ou a Folha?
A alguns kilômetros de distância, nosso genial presidente, aquela sumidade de inteligência refinada, famoso pelas gafes e sandices, dispara: "A crise foi causada por gente branca e de olhos azuis".
Ora ora...o que estamos fazendo? Transformando problemas sociais em luta de classes e racismo ao contrário?
Utilizando arbitrariedades para promover "vingancinhas" contra nossos brancos colonizadores? Estamos vestindo a carapuça dos "coitadinhos" que não sabem andar com as próprias pernas e precisam da benevolência e dó dos países ricos?
E aqui dentro, usando o nada original argumento de que os pobres são uns coitados e os ricos são os vilões?
Preconceito ao contrário não resolve nada, gente.
Qual é a diferença entre comprar uma bolsa Dolce & Gabanna na Daslu, comercializada de maneira irregular ou um vídeo-game contrabandeado na 25 de março?
Por que não prendem todos os camelôs? Porque seria uma injustiça social? Cadê a máfia chinesa que organiza o comércio local?
Cadê o Silvio Pereira? Já cumpriu sua pena com "serviços à comunidade".Daqui a pouco vira deputado.
E ele é branco? Tem olhos azuis? Delúbio Soares tem. E é mais branco do que eu.
Conheço uma turma que forneceu drogas a uma menina de 20 anos, linda, filha exemplar e bom coração e depois assistiu sua agonizante morte por 2 horas, se debatendo, sem fazer nada.
Porte de drogas, omissão de socorro e nada aconteceu. Estão livres, leves e soltos. O "cabeça" é filhinho de advogado influente no ABC.
Conheço uma mãe cuja filha está em coma há mais de 10 anos, por conta da irresponsabilidade de uma grande fábrica multi-nacional de ralos de piscina.
Neste mês, veio a sentença final...sabem o que aconteceu com os responsáveis? Nada
.
Perdi uma amiga ciclista, atropelada por um ônibus, na av. Paulista. Estou esperando, sentada, em cima da minha bike, pra ver o que vai acontecer.
São tantos, tantos os outros casos nesse Brasil afora, CRIMES CONTRA A VIDA HUMANA, que a gente até perde a conta.
E Eliana pega 94 anos de prisão antes de qualquer julgamento?
Tem algo muito errado aí.
Polícia para quem precisa. Polícia para quem precisa de polícia. Já diziam os Titãs.

PS: já arranjei um esconderijo para todas as minhas amigas brancas de olhos azuis. Afinal, elas devem fazer parte do bando responsável pela crise, viu, sr.Presidente?

terça-feira, 24 de março de 2009

Brasil: um país de gordinhos?


Estou tentando perder peso. Nem estou muito acima, tenho o que se chama sobre-peso.
Mas como é duro, depois dos 40.
Some-se a isso, o preço dos alimentos light/diet. São bem mais caros.
A obesidade do povo brasileiro tem preocupado mais o Ministério da Saúde do que a desnutrição. As classes mais baixas têm tido mais acesso a alimentos ricos em gorduras e açúcares e há uma grande defasagem de educação nutricional. Além disso a vida corrida impede as pessoas de prepararem suas próprias refeições. Come-se muita coisa pronta, industrializada e cheia de conservantes. Minha nutricionista explicou que esses conservantes contém sódio, que incha o corpo e dificulta a eliminação de líquidos. Sódio também que entra na composição dos refrigerantes light e até nas águas aromatizadas.
Nas ruas, salas de espera, escolas, vejo cada vez mais gente comendo tranqueiras.
Fila de comida por quilo, então...é um festival de ignorância. As pessoas fazem cada mistureba, que me enjoa só de olhar. Como alguém consegue comer lasanha com arroz e feijão??
Vejam, eu adoro uma coxinha. Mas se eu como uma a cada dois meses é muito. Evito frituras. Mas vejo mães deixando seus filhos pequenos segurarem pacotes enormes de salgadinhos por aí, devorando-os, sem limite.
Na escola dos meus filhos, várias crianças levam dinheiro para comprar o lanche na cantina. Tem menino e menina tomando Coca-cola todo dia, com frituras, bolacha recheada e nada de frutas. A cada dia, mais crianças com problemas de colesterol. E vocês sabem muito bem o quanto sofre uma criança gordinha.
A obesidade tem pego ricos e pobres, sem dó nem piedade.
Falta educação alimentar e atividade física.
Além disso, ou as nutricionistas precisam rever suas tabelas de alimentação e banir a necessidade de consumirmos os light/diet, tão caros, ou o governo trata de diminuir a incidência de impostos sobre esses alimentos e aumenta os que incidem sobre comida não-saudável, como as bolachas recheadas e os salgadinhos nada nutritivos.
Resumo: fazem mal à saúde? IMPOSTO neles!!
E agora com licença, que eu vou pra academia.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Trailer errado

A rede Cinemark deu a maior mancada outro dia.
Levei meus filhos para assistir "Se eu fosse você 2", que é ótimo.
Antes do início do filme, passou o trailer daquela BOMBA de mau-gosto, "Pagando bem, que mal tem?".
Censura? 16 anos. Enquanto "Seu eu fosse você 2" tem censura 12 anos.
Não tem algo errado aí? Conclusão: minhas crianças e muitas outras foram expostas a linguagens sujas, palavrões e situações completamente inadequadas à idade.
Já mandei reclamação ao shopping Villa-Lobos...quando vier a resposta, publico aqui.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Bye bye Clô...


...E aí o Clodovil morreu, gente. Uma pena.
Odiado por muitos, adorado por outros tantos, lá se vai o cara.
Eu gostava dele. Porque gosto de gente com personalidade. Gente que fala o que pensa. Gente que gosta de dividir o que sabe. Gente que ousa.
Gente que faz diferença.
Falem mal, mas falem dele.
Tinha lá seus defeitos.
Mas..."olhe agora pra lente da verdade" e diga: você não tem?
Vai em paz, Clô.

Urubus desconhecidos

Muita gente está me perguntando se esqueci do blog, o porquê do sumiço etc.
Eu agradeço pelo interesse e confesso que um blog pouco atualizado acaba sendo esquecido.
Mas, como já escrevi em outro post, estou passando por uma fase muito difícil, perdi meu pai e não sei quanto tempo o sentimento de perda dura...talvez para sempre.
Então há dias em que estou mais "up", há outros em que estou "down" e acho que isso é o que acontece com todo mundo. De qualquer forma, a inspiração sofre.
Falando em estar de baixo astral, uma das razões do sumiço é que não quero contaminar os que estão à minha volta com a tristeza. Ontem tive um exemplo de como isso é fácil de acontecer.
Estava na academia - estou tentando perder uns quilinhos - e ao meu lado, uma senhora loira, bem apanhada e saradona fazia suas abdominais. Outra, da mesma idade, morena e de óculos, se aproximou e pegou o colchonete. A loira perguntou:
-"Nossa, você sumiu, o que aconteceu?"
Para quê ela foi perguntar?? A outra despejou um monte de desgraças sobre a pobre interessada:
-"Nem imagine...minha irmã quebrou a perna, minha filha adolescente engravidou, minha mãe está com Alzheimer e eu tive um mioma".
Sem que a outra dissesse mais nada além de interjeições (oh, nossa, puxa etc), a triste senhora cheia de problemas foi despejando o saco de tragédias, sem parar. Até descreveu uma curetagem. Meu abdomen doía só de ouvir.
Eu acho que amigos são pra todos os momentos. Mas numa academia as pessoas procuram bem-estar. E quando a morena se aproximou, a loira perguntou o porquê do sumiço. Daí se deduz que não eram amigas íntimas, senão, teriam notícias uma da outra sempre.
Eu não sei o que os manuais de etiqueta dizem a respeito; meu bom senso dá a dica - não despeje seus problemas nas costas de gente que mal te conhece.
Se me perguntam se estou bem, geralmente digo que sim. Se minha cara não convence - não sei mentir - explico por alto, sem grandes detalhes.
Pedir conselhos é bom; não tenho nada contra. Quem está de fora da situação pode ter um olhar revelador e ajudar muito. Mas há que se ter cuidado. Aconselhar quando é pedido, saber calar quando não é, filtrar o que se ouve, relevar o que não se quer ouvir.
Precisamos nos precaver dos "urubus desconhecidos". Um bocado da nossa alegria de viver está em dar boas risadas com as pessoas, sejam amigos íntimos ou não.
Não temos o direito de contaminar desconhecidos com nossas mazelas.
Às vezes precisamos desabafar...mas só amigos de verdade saberão compreender essa necessidade.
Ah, como é complicado viver!!
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida