sexta-feira, 29 de maio de 2009

Projeto de Lei contra a Imunidade Parlamentar


O que sobrou do carro onde estavam os dois rapazes ASSASSINADOS pelo deputado.


O país ficou perplexo com o acidente envolvendo o deputado estadual pelo PSB do Paraná, Fernando Carli Filho, que matou dois jovens em Curitiba.
Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida, que tinham acabado de sair de um cinema, foram pegos por trás pelo carro do deputado, que vinha a inacreditáveis 190 km por hora. Gilmar Rafael foi degolado e o corpo de Carlos de Almeida virou uma massa disforme.
O deputado estava bêbado. Nada menos do que 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue. Era um colecionador de multas: 30, em 6 anos; 23 das quais por excesso de velocidade. Teve o rosto bonitinho e bem cuidado completamente desfigurado e se recupera no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Um hospital de ponta, caríssimo, inacessível à maioria da população. E sabe quem vai pagar a conta? Adivinha...
A a mãe de Gilmar, Cristiane Yared, está botando a boca no trombone. Clique em seu nome e veja a primeira parte de uma série de entrevistas, para o programa local "In close". Ao invés de chorar sozinha a perda do lindo rapaz, ela corajosamente está encabeçando um movimento em Curitiba que pretende propor um Projeto de Lei Federal que reduz os benefícios da imunidade parlamentar.
No próximo sábado, ela e centenas de manifestantes curitibanos estarão reunidos, a partir das 10 da manhã, no ponto conhecido como "Boca Maldita", no calçadão da Av. Luiz Xavier, na capital paranaense.
Divulgue o movimento, vamos nos multiplicar e reunir milhares de assinaturas, apoiando o projeto.
Aqui você pode acessar a página da rádio CBN e ouvir o boletim de Jorge Maranhão a respeito: "Imunidade parlamentar X Impunidade".
A violência no trânsito chega a proporções insuportáveis. Vamos ficar calados até quando?
No início do ano perdi uma amiga ciclista atropelada por um ônibus. No noticiário, imagens de jovens, mulheres grávidas, motociclistas, mortos por gente dirigindo alcoolizada, ou em excesso de velocidade, ou ambos, ou que não respeitam farol vermelho, enfim...E são filhinhos de papai, na maioria, que COMO SEMPRE, pagarão bons advogados e sairão impunes.
Em relação ao trânsito, como em relação às drogas e a tantos flagelos da nossa sociedade, não vejo uma campanha decente na TV, séria, feita pra chocar mesmo.
Não vejo punições, quando existem, que mexam com os intestinos dos criminosos - um assassino desses, além de preso, deveria prestar serviço voluntário no Corpo de Bombeiros e no IML; ajudar a tirar com PÁ os restos dos corpos massacrados de tantas vidas que se foram.
Um banho de sangue. Como disse Cristiane Yared, agora a chuva já lavou o sangue do seu filho e de seu amigo. Mas este sangue penetrou na terra.
E nós estamos pisando, andando em cima dele. Sem nada fazermos.

Nenhum comentário:

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida