sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Baleias "assassinas"??


Elas merecem liberdade


Estou comovida com a morte de uma treinadora de baleias do Sea World, nos EUA.
Há um post meu sobre a excelência dos parques temáticos daquele país, entre os quais cito este, tão encantada que fiquei com os shows de golfinhos, com a possibilidade de acaricia-los e alimenta-los com minhas próprias mãos.
Naqueles momentos, únicos, pensei apenas no processo de conscientização dos visitantes desse tipo de parque, da importância da preservação dessas espécies, nas oportunidades únicas que temos de ver estes seres de pertinho e termos por eles um olhar de amor, de respeito e reverência.
MEA CULPA. Não pensei na questão do confinamento desses animais. Das focas, dos pinguins. Sempre fui contra a presença dos animais em circos. Porém, no caso do Seaworld, levava em conta a seriedade do parque, os tanques de dimensões amplas, o treinamento sem tortura, apenas com base na alimentação e premiação com peixes.
Ninguém la´chicoteia os cetáceos. O ambiente oceânico é reproduzido ao máximo.
Porém...você aguentaria viver num espaço exíguo, andando em círculos pelo resto da vida? Eu não aguento nem correr meia hora na pista do meu clube. Me sinto um cavalinho de carrossel.
Então as Orcas podem ser classificadas de "baleias assassinas"? Ou os assassinos somos nós, seres humanos? Além disso, cá entre nós: quantos visitantes vão lá e saem apaixonados por ecologia e meio-ambiente? Quantos viram ativistas e lutam pela causa da preservação ambiental?
A morte da treinadora despertou, tardiamente, reconheço, minha preocupação em relação ao confinamento desses animais. Sempre fui contra a caça às baleias, mas percebo que a questão é muito mais ampla do que isso.
Eu quero conversar com algum representante do Greenpeace ou da WWF e pesquisar mais a respeito...quais são as dimensões de um tanque de baleias no Seaworld? E como se dá a captura desses animais? Ou nascem lá dentro mesmo?
Enquanto não tenho essas respostas, convido vocês a ouvirem, com atenção, a narração esplêndida deste vídeo, acerca da notícia e do assunto em si.
Quanto ao tal encantamento de ver uma baleia de perto, mostra-las aos meus filhos e enfiar na cabeça deles que temos que preserva-las, a partir de hoje acho mais sensato
ir pra Santa Catarina ou Fernando de Noronha, pegar um bote e vê-las no mar, livres e felizes.

3 comentários:

reginadelemos disse...

Show para turista ver e com isso lucrar muito .Money,money, money!Só pensam nisso,tudo gira em torno do dinheiro.Baleia é para viver no mar,solta, livre.Até que ponto o homem pode transformar um animal em "bichinho" de circo? Um dia a casa cai.

regina lemos disse...

Até que ponto uma baleia que deveria estar vivendo no seu habitat natural,ou seja, no mar pode viver confinada em um tanque?
Um dia o instinto animal se revela ,fala mais alto e aí é tarde demais.O estrago já foi feito.Esta não foi a primeira vez que a baleia matou.
O recado já tinha sido dado,mas foi ignorado.Afinal,o que vale é o lucro dos shows.
money,money,money....
Eu já vi este show e confesso que não me empolguei muito.A baleia até protestrou quando cheguei mais perto,jogando água em cima de mim.Disseram que foi por esta razão, sei lá...
Mas estes mamíferos maravilhosos,inteligentes, não podem estar felizes dentro de um aquário.É só usar a lógica!

André disse...

Muitos sites americanos defendem a soltura dos animais e pedem que as pessoas não frequentem tais parques. A tortura dos bichinhos ali é sutil, como vc bem detectou. A gente demora a se dar conta de que é uma gaiola como qqer outra...

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida