sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Viver a vida: uma manguaça só

Eu raramente assisto a uma novela, mas estou acompanhando "Viver a vida".
Por sinal, já entrou na fase "encher linguiça". Poxa, adoro as novelas do Manoel Carlos...as paisagens deslumbrantes do Rio já valem os 50 minutos em frente à TV.
Mas eu acho que ele tá errando a mão, no mínimo, numa coisinha: o consumo excessivo de álcool entre os personagens.
O sujeito chega em casa e corre pro uísque; já há a personagem com distúrbio alcoólico na trama, vivida medianamente pela Bárbara Paz. Mas parece que todo mundo lá tá precisando da ajuda dos Alcóolicos Anônimos!
Achei o cúmulo uma cena entre o Miguel (Matheus Solano) e a Renata (Bárbara Paz), outro dia; a certa altura ela o convida pra conversar e tomar um drink, ao que ele responde: "É, não dá pra conversar sem tomar uma bebidinha".
Como é que é???
Não dá pra conversar sem álcool? E quanto às dezenas de cenas por semana em que algum personagem diz algo do tipo: "Vamos beber pra relaxar?".
A gente fica bêbada só de assistir à novela. Ainda bem que televisão ainda não tem cheiro, senão ia ser um bafo só. Até meu filho de apenas 12 anos já reparou nisso e disse, do alto de sua sapiência pré-adolescente: "Essa novela devia se chamar 'Beber a vida', isso sim, mãe".
A questão da inclusão dos deficientes é tão importante, Maneco...mas veja só a sua responsabilidade com relação ao álcool. Afinal, a novela tem classificação etária para menores de idade. Apesar disso, há cenas em que sou obrigada a trocar de canal por alguns minutos.
Se alguém do meio estiver lendo os escritos dessa simples mortal, por favor mandem o recado. Não tenho a menor idéia de como fazer o Manoel Carlos ler esse post.
E um brinde...com suco de cajú! Ou no máximo, uma cervejinha. HIC!!

Nenhum comentário:

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida