segunda-feira, 26 de abril de 2010

É importante manter a criança dentro de si

Ontem levei minha filha de 11 anos ao show "IsaTKM".
Trata-se de um show com o elenco de uma novela teen venezuelana que já está em sua segunda temporada. Nunca me liguei nessas modinhas pop e muito menos tinha visto o interesse da minha filha nesse tipo de coisa. Mas essa série fisgou a gente, não teve jeito. Por que será?
O casal protagonista é lindo. Namoram na vida real. A série é inocente, tem um figurino meio brega e os atores provavelmente nunca vão ganhar um Oscar, mas assistimos porque é gostoso. E só! Eu comecei a ver por causa da Adrianinha, pra dar uma monitorada e conversar com ela sobre as cenas de amor, próprias pra idade dela e os conflitos interpessoais.
As músicas são bonitinhas. Compramos o CD. O primeiro show no Brasil foi no ano passado. Só pudemos ir nesse.
E gente...foi MUITO BOM estar lá, hehehe. Voltei a ser criança/adolescente de novo. Curti cada momento com a minha filha. Percebendo nela um jeito saudável de acompanhar tudo, sem se descabelar com fanatismo, apenas cantar as músicas - inclusive a está incentivando a aprender espanhol, vestir a camiseta e sentir a emoção de ver seus ídolos de perto. Estamos alimentando a indústria pop? E daí? Diverte? Então é o que importa. Não sejamos tão rigorosos conosco mesmos. Ser intelectual é bom; ler melhor ainda, imprescindível, aliás. Mas um popezinho comercial de vez em quando não faz mal a ninguém e cumpre a que veio: divertir!
O mais próximo do fenômeno "Isa TKM" foi o Menudo, na minha época. Que eu não pude curtir tanto porque tinha uma mãe extremamente severa e autoritária que nem me deixava pegar ônibus aos 13 anos, nem mesmo dependurar um poster atrás da porta. Minha adolescência foi, definitivamente, um porre.
Então ontem eu fui à forra. Me senti feliz por fazer minha filha feliz, compartilhar com outras crianças e adolescentes aquele momento, falar a linguagem deles,conversar com outras mães.
Tudo passa na vida e essa fase também. Uma fase importante para o pré-adolescente, uma fase de passagem, do despertar do amor, do romantismo. Uma fase difícil, mas encantadora, à qual todos eles têm direito, desde que, repito, de forma saudável. Permitir isso aos nossos filhos é permitir que despertem para a vida adulta de uma forma mais tranquila.
Até eu "re-despertei". E joguei fora todas as mágoas que tinha, sendo adolescente outra vez, me sentindo presente na vidinha da minha filha. Cantamos juntas, sorrimos juntas, ficamos de mãos dadas e nos sentimos mais amigas do que nunca.
Como foi bom! Permita-se você também, voltar a ser criança ou adolescente, de vez em quando, da maneira que você achar mais legal pra você. Claro, com responsabilidade. Isto é viver intensamente.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Cães-guia para cegos: divulgue essa

No fim-de-semana conheci uma Ong que desenvolve um trabalho interessantíssimo: permitir o acesso dos deficientes visuais aos chamados "cães-guia".
O que a entidade mais precisa atualmente é de voluntários que se disponham a cuidar e socializar filhotes até completarem 1 ano, quando serão entregues a treinadores especializados e depois encaminhados a quem necessite.
Há 2000 deficientes visuais esperando por um cão-guia.
Eu amo cães e animais em geral e fico imaginando a dificuldade emocional de cuidar de uma coisinha fofa enquanto filhote e depois ter que devolve-lo. Mas a causa é MARAVILHOSA, não é mesmo?
Conheça o blog do Iris (Instituto de Responsabilidade e Inclusão Social), fundado pela advogada brasileira Thays Martinez. Quem sabe você pode ajudar a divulgar essa iniciativa tão importante, comum nos EUA mas que ainda está engatinhando por aqui.
O blog também tem textos lindíssimos. Vai lá.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Bela porcaria

Eu não aguento mais ouvir falar dessa usina de Belo Monte.No fim das contas a gente sabe o que vai acontecer.
Quem tinha que estar resolvendo isso éramos nós, brasileiros e não o James Cameron, nem a Sigourney "Ripley" Weaver. É mais uma daquelas questões que mereciam contar com um plebiscito, mas os senhores deputados nem sabem o que isso significa. Democracia...ora veja.
Democracia é o Greenpeace jogar esterco na frente da Aneel. Por mim podiam derrubar esterco bem naquela rampa do Palácio do Planalto. Já pensou que coisa linda, aquela rampa branquinha e a meleca verde escorrendo, enchendo de moscas, secando ao sol, que beleza?
O Brasil tem um "belo monte" de alternativas de captação de energia.
Já foi ao Norte e Nordeste do país? Já tentou comer farofa na praia? É impossível. De tanto que venta. Então...energia eólica, oras...Energia solar, que tal?
Ah é caro, senhores? Caro vai ser acabar com a nossa mata e dar um pé no traseiro dos nossos índios. Caro vai ser acabar com a flora e fauna local e assistir depois a uma leva de migrantes sem sustento, rumando ao sudeste e sul do Brasil, comprados por políticos e ocupando mais morros do Bumba.
Isso não é demagogia, nem pieguice.
Isso é lógica.
Mas se o Brasil fosse lógico...não precisaríamos da presença da tenente Ripley aqui pra dizer o que nós deveríamos estar dizendo, em bom Português.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

De olho até na camiseta!



Camiseta da Hering: que bola fora, heim??

Frases de camiseta quase sempre são em inglês, quase sempre não têm sentido e quando têm, exigem alguma ousadia de quem usa. Acho legal quando são frases provocativas, instigantes e inteligentes.
Mas a Hering extrapolou. Meu filho fez aniversário e ganhou uma camiseta de presente...inadvertidamente, depois de ele experimentar pra ver se servia, arrancamos a etiqueta, o que impediria a troca.
Só alguns minutos depois, prestei atenção na frase: "The benefits of beer: is nutritive, fat-free and cholesterol free, has a relaxing effect, reduces stress, makes people happy!" (Os benefícios da cerveja: é nutritiva, não engorda, não tem colesterol, tem efeito relaxante, reduz o stress, faz as pessoas felizes).
Em qualquer banquinha de camelô você encontra produtos com dizeres parecidos.
Mas uma criança deve usar isso? E é coerente que uma empresa como a Hering, que usa embalagens recicláveis pra preservar o meio-ambiente, que atua na campanha do "alvo" contra o câncer de mama, faça uma estampa dessas? A Hering sabe que o álcool causa câncer também? Não sejamos hipócritas; não é uma camiseta que vai fazer uma criança beber. Mas que é apologia ao uso, é.
Liguei no SAC da empresa e reclamei. Apesar de ter arrancado a etiqueta, o que impede que eu faça a troca na loja, eles vão me mandar um catálogo para que escolha outra estampa e mande esta de volta, pelo correio, com todas as despesas pagas.
É isso: agora vocês pais têm que ficar de olho até nas frases das camisetas que seus filhos usam e nas que vocês presenteiam. Aliás os balconistas deviam ser orientados a não vender esse tipo de blusa para menores. Tô sendo chata?
É muito raro eu trocar presente e ensino isso aos meus filhos: é de uma indelicadeza sem par. Só o fazemos quando realmente são roupas que não têm o tamanho adequado; de resto, aceitamos de bom grado todos os presentes. Acredito que a culpa nem foi da pobre mãe do garoto, que comprou a camiseta. Afinal, ninguém é obrigado a entender inglês. Apesar do desenho enorme de uma garrafa em baixo dos dizeres.
Não dá pra deixar um menor de idade usar isso. Já basta o aumento de consumo de álcool entre os jovens...veja aqui uma pesquisa a respeito.
Espero que a Hering seja mais responsável com suas estampas. Ah, pra completar, o produto ainda tem uma frase mentirosa: cerveja engorda sim.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Brasileiro não reconhece a honestidade alheia

Não se assustem, meninos e meninas, estou falando em termos gerais.
Blog já virou carne de vaca mesmo, então, não há de ser uma frase minha que vá causar algum impacto multi-planetário a la vulcão islandês.
Episódio bucólico: eu na Blockbuster, ou ex-Blockbuster comprado pela Americanas ou atual Blockbos...é, isso aí que vcs pensaram mesmo. Porque não tem filme bom mais alí, porque não tem mais atendente com um mínimo de cultura cinéfila pra ajudar o novato a distinguir entre um Fellini e um irmãos Cohen.
Enfim...adentro a referida loja sei lá do quê, e dou de cara com o DVD do filme "Mamma Mia" a R$ 12,90. UAU! Ok. É pop. É supérfluo. Mas diverte. É engraçado. É bem feito.
Estranho o preço, visto que no lançamento tava por R$ 49,00, ano passado.
Nessa época ainda falei pra minha filha Adriana, de 12 anos: "Dá um tempo que já já esse preço cai" - ela, que amou o filme.
Então deparo hoje com aquele precinho tão camarada. Animadésima, tiro a dita-cuja da prateleira e no produto debaixo, o mesmo título, outro preço: R$ 19,99. Então me dou conta que a etiqueta do produto acima dos demais DVDs havia sido trocada, pois logo abaixo do código de barras, em letras minúsculas, o nome de outro filme...
Em questão de 5 segundos, baixa em mim o santo desonesto. Não vou ser hipócrita. Pensei,SIM, em engabelar a caixa. Em tentar levar a fita pelo preço mais barato por engano. Mas isso durou segundos. Fiquei pensando no gerente dando bronca na funcionária, pois fatalmente o erro cairia como desconto no salário dela.
Pensei que isso, sim senhores, era errado. Era falta de honestidade. E logo dei um tabefe no meu "demoninho" sacana por cima do ombro esquerdo e ouvi meu anjinho do ombro no lado direito. Exatamente como todas as pessoas normais e de bem costumam fazer, à moda dos desenhos animados.
Abri mão de levar o filme a R$ 19,99 por pura dureza e vácuo de bolso. Não sem antes avisar a moça do caixa. "Ei...essa etiqueta foi posta por engano".
Num muxoxo, ela levou bem uns 10 minutos pra entender do quê eu estava falando. Ou seja, talvez se eu tivesse decidido passar a perna na loja e nela, teria me dado bem.
Por fim entendeu o erro do preço. Me olhou com indiferença, só perguntando: "Mas a senhora vai levar ou não?"
Eu respondi que não. Que só queria avisa-la sobre o engano, antes que ela levasse prejuízo.
Ela me olhou como se eu fosse um ET. Não se deu conta de que estava diante de uma pessoa honesta e que a livrou de um prejuízo pessoal. Não disse sequer "obrigada".
Mas entrei no meu carro de consciência leve. Entre a certeza de ter feito o certo...e a tristeza de perceber que o brasileiro, no geral, não reconhece a honestidade alheia.
Mamma mia...

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Cabral não descobriu o Brasil, descobriu o PAC

Que coisa ridícula, pra não dizer perversa e imoral, o governador Sergio Cabral ontem, durante a cobertura da imprensa, exaltando as obras do PAC, enquanto eram mostradas imagens de deslizamentos e o povo retirando os escombros de casas debaixo da lama.
Essa gente não tem que morar em morro. Não há planejamento nas cidades em geral.
E agora o PAC, com 6% de "obras" entregues, foi a salvação da lavoura? Já não bastou a choradinha com lágrimas de crocodilo, seu Cabral? Não bastou o porre do Carnaval?
Pobre Rio das futuras Olimpíadas.Se continuar assim, vamos morrer de vergonha em praça pública, na rede mundial de TV, rádio, Internet e etc etc.

Sem passaporte

Hoje fui entrevistada pelo repórter Juliano Dip, da rádio CBN, depois de ter mandado pra eles um email acerca da minha dificuldade em renovar meu passaporte e fazer os dos meus filhos menores.
Há cerca de 20 dias, ouvi na CBN recomendações da Polícia Federal de que esperasse 15 dias até que o serviço de agendamento eletrônico no site se normalizasse, em vista da troca de empresa terceirizada...
Ora essa, já se passaram mais de 15 dias. E ainda não há horário disponível para o agendamento em NENHUM dos postos da PF na Grande São Paulo.
Eu ainda não sei quando a matéria da CBN irá ao ar, mas o Juliano Dip, excelente repórter, disse-me que após a gravação entraria em contato com a PF para apurar o que está acontecendo e se há previsão de atendimento decente nos postos.
Finalizei a entrevista dizendo que esse impedimento para eu conseguir os documentos FERE meu direito de ir e vir. É um CERCEAMENTO ao meu direito de cidadã brasileira.
Acho que as companhias aéreas bem que podiam se unir aos brasileiros nesse momento, afinal, como usufruir dos pacotes sem esse documento básico? Não se faz pamonha sem o milho...
Há um projeto de lei do Cristóvão Buarque, obrigando governadores, prefeitos, deputados e a politicalha em geral a matricular seus filhos somente em escolas públicas.
Fico curiosa pra saber qual o trâmite que a Polícia Federal exige desses senhores na hora de exigir o passaporte; afinal, essa gente vive gastando o meu e o seu dinheiro em suas viagens mundo afora.
Precisam também de agendamento eletrônico? Precisam pegar fila nos postos da Polícia Federal???
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida