quarta-feira, 21 de julho de 2010

Poesia não carece de explicação

Pra sempre

Não sei se é mistério ou milagre
saudade do que não vivi
Tão longe, na eternidade
sem distâncias, mas eu resto aqui
A dor do nada ter feito
do meu ombro que não foi dado
E as lágrimas eu não ter secado
mas tá comigo
Você está comigo
dentro da alma, quase um castigo
O desencontro, eu cheguei, mas o avião
já tinha partido
Tento aceitar e sigo em frente, outros amigos,
sempre presentes
Você só mudou, eu sei, mas pra onde?
um dia nos vemos, não sei se demoro
Mas tempo não importa
desde que a gente se encontre
E o que era início de uma década
virou pétala, se perdeu no temporal
E o que era pra ser só sorriso
sem aviso,
foi-se embora, pra sempre, pra sempre, pra sempre...

Paula Calloni

Um comentário:

rosa antunes disse...

De tudo o que vc disse ai, fica prá mim um sentimento que anda sempre comigo também: saudades ...

Esse sentimento vem carregado de luz e de muito amor!

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida