segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Uma exposição que levou a outra!

No último sábado estive com minha filha Adriana no Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga.
A intenção era conferir a exposição "Papel de Bala", que resgata embalagens antigas de guloseimas de diversas regiões do Brasil.
Enquanto matava a saudade da infância, caia o maior pé-d'água lá fora. Então resolvemos dar uma volta pelo museu, que já visitamos várias vezes.
E foi aí que deparamos com outra exposição bem legal: "Imagens recriam a História". Trata-se de uma coletânea de fotos de Militão Augusto de Azevedo retratando a São Paulo do séc. XIX e as respectivas reproduções em tela, pintadas no século seguinte, por Benedito Calixto, José Washt Rodrigues etc.
O que achei mais interessante é que o objetivo dos pintores era dar detalhes, não muito nítidos nas fotos, do calçamento da cidade, frisas nas paredes e até de personagens presentes nas fotos. A inserção de outros detalhes atendia também a intenção do autor de destacar determinados edifícios no cenário.
A grata surpresa foi a presença de duas obras que foram reproduzidas em relevo, com as devidas descrições em braile, ao lado, para os portadores de deficiência visual. Uma delas é "Combate de Botocudos em Mogi das Cruzes", de Oscar Pereira da Silva, de 1920.
Muito pouco, com certeza, em relação à quantidade de telas. Mas refleti e tentei "sentir" a tela em relevo com os olhos fechados...pensando no quanto os cegos precisam ter seus olhos nas pontas dos dedos.
E no quanto, em muitos sentidos...eles enxergam melhor do que nós.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Lixo em Sampa é problema complexo

Eu prezo muito os garis da Prefeitura de São Paulo, que fazem o trabalho que, em muitos casos, os próprios moradores e comerciantes poderiam fazer.
Mas existe uma falha no sistema de coleta desse lixo que foi varrido das ruas: os carrinhos dos garis não comportam tamanho volume de lixo. Então eles o ensacam e deixam nas calçadas, para coleta dos caminhões, no mesmo dia.
O detalhe é que a varredura termina logo depois do almoço. O caminhão de lixo da Prefeitura só passa após as 18. Nesse ínterim, o lixo varrido acaba assim:

Os catadores de material reciclável têm um importante papel no destino do lixo gerado nas grandes cidades. Mas nem todos são conscientes de seu trabalho; muitas vezes abrem os sacos de lixo retirando apenas o material mais lucrativo. E isso vai parar nas bocas de lobo, junto com o resto de dejetos de toda natureza que é jogado nas ruas. Pura falta de educação dos "cidadãos" ditos "civilizados".
Se nós moradores e comerciantes estamos sujeitos a multas ao colocar saco de lixo na calçada antes do horário devido, como a própria Prefeitura poderia proporcionar a coleta mais rápida do lixo varrido pelos garis? Fica aí a pergunta.
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida