sexta-feira, 29 de junho de 2012

Vivas ao querido Concierge, porque hoje é seu dia!





 - Nada melhor para homenagear o “Dia do Concierge”, comemorado hoje, do que contando a história de dois profissionais exemplares do setor: Vitor Santos  e Felipe Azevedo, do Sheraton WTC São Paulo.

Vítor Santos, de Salvador – BA,  formou-se em Química e até hoje guarda as fórmulas do Propilenoglycol na cabeça. Um gênio. O destino o levou ao trabalho em cruzeiros turísticos e daí nasceu sua paixão por viagens e conhecimento de culturas diferentes. “Foram 13 países, entre Itália, França, Turquia. Experiências apaixonantes, que me fizeram aprender sobre modos de vida diferentes e hoje só acrescentam ao meu trabalho.” De volta ao país, decidiu cursar Relações Internacionais. O Itamaraty faz parte de seus planos...no verdadeiro espírito do profissional que o mercado de Conciergerie espera; um indivíduo que não veja limites no seu aprimoramento cultural, profissional, de forma bem abrangente. Vítor quer mais...muito mais.
O menino Felipe Azevedo, também do Lounge Level, do Sheraton WTC – São Paulo,  não fica atrás.
Este é Felipe Azevedo, ao lado de Aline Passucci.


Com Vítor Santos, do Sheraton WTC - São Paulo

Sim, menino...Felipe tem vinte e poucos anos, mas muita ambição pela frente. Filho de um engenheiro da Scania, forçado, pelo trabalho, a se deslocar do país várias vezes, Felipe se viu na Suécia ainda pequeno, onde aprendeu quatro idiomas. “Fui com 9, 10 anos...em pouco tempo, aprendi a me deslocar de trem e organizar roteiros com os amigos. Percebi que tinha jeito pra coisa...turismo por trem, os melhores lugares pra visitar, as rotas conveniências individuais e em grupo...ter feeling ; pensei: poxa, sou bom nisso!” – Na volta, não deu outra...Felipe foi de encontro ao mundo da hotelaria e hoje, é um Concierge de primeira.
Querendo subir...alcançar um nível acima, primeiro de seu próprio desenvolvimento, técnico, cultural e pessoal, daí para a excelência, delicadeza  e perspicácia com os hóspedes, foi mera consequência.
Ser mais, além, do que você se acha capaz de ser. Não esperar nada em troca. Servir com excelência, na consciência pessoal de estar  indo um grau adiante,  do que a maioria...e sendo feliz, profissional e pessoalmente  por isso.
Eis a verdadeira arte da pura Conciergerie. Parabéns, Concierges! Nem sempre o agradecimento dos seus clientes será explícito...mas isto não abala vocês. Nunca. Pela simples busca da Arte DO BEM SERVIR.


 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Concierge: quando servir é uma arte

No próximo dia 29 de junho comemora-se no Brasil o "Dia do Concierge", profissional conhecido no setor hoteleiro de alto padrão e que agora começa a ser visto também em hospitais, condomínios e até operadoras de cartão de crédito. Cabe a este profissional resolver, com prontidão e elegância, todas as demandas de um cliente; no caso dos hotéis, seja encomendando milhares de pétalas para decorar um quarto numa data especial, seja providenciando serviços odontológicos às duas da manhã para um hóspede aflito. Orientar o cliente sobre as atrações da cidade e prove-lo com toda a logística necessária a fim de que ele desfrute ao máximo sua estadia também está entre as múltiplas funções do Concierge. A data foi escolhida por coincidir com o dia de São Pedro, que pela tradição, é aquele que tem as chaves do céu. Pois os Concierges de alguns hotéis em São Paulo também ostentam um par de chaves douradas na lapela,simbolicamente, as chaves da cidade. Pelo menos, os que são reconhecidos pela excelência de seu trabalho, de acordo com os rígidos critérios da associação internacional Les Clef's d'Or. Em São Paulo, apenas 8 profissionais têm este reconhecimento oficial da entidade. A gerente-assistente de serviço ao hóspede do Sheraton WTC, Aline Passucci, é uma delas. No último sábado, 23 de junho, Aline abriu o 19o Encontro de Concierges em São Paulo, organizado pela "Lugadeli Concierge". O evento reuniu cerca de 25 profissionais de todo o Estado, provenientes das mais diversas áreas abrangidas pela profissão: hospitalar, hoteleira e de condomínios. "O objetivo dos nossos encontros, que acontecem mensalmente, é propagar a informação correta sobre o atendimento e a profissão de Concierge, promovendo a integração destes profissionais e a troca de experiências", explica Luciana Garcia Lima, diretora da Lugadeli. No Brasil, a Les Clef's d'Or só reconhece o título e concede o broche dourado das chaves aos profissionais atuantes no ramo hoteleiro. Nos EUA, a associação dos concierges é mais abrangente. "A atividade é relativamente nova no Brasil, não chega a ter 20 anos. Com estes encontros queremos mostrar as possibilidades de atuação desse profissional, conhecendo o mercado e nivelando-o, para que todos tenham a mesma elegância no atendimento, que é o que caracteriza o Concierge" - completa Luciana. Segundo Aline Passucci, o Concierge, dentro da hotelaria, por exemplo, é um profissional que precisa ter inúmeras habilidades: paciência, pensamento crítico, flexibilidade, competência organizacional e administrativa e capacidade de realizar tarefas múltiplas. Jogo de cintura para transitar entre os vários níveis hierárquicos também é imprescindível. Enfim, uma mistura de dom e técnica, exercidos com elegância e delicadeza.
Por isso, ser Concierge é uma arte. A maioria dos profissionais atuantes no mercado têm formação na área da Hotelaria ou de Relações Internacionais, mas há também cursos técnicos e empresas especializadas que dão o direcionamento para quem quer ingressar na profissão. Se você tem interesse em conhecer mais sobre Conciergerie e os próximos encontros, acesse "Lugadeli Concierge".
Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida