segunda-feira, 25 de junho de 2012

Concierge: quando servir é uma arte

No próximo dia 29 de junho comemora-se no Brasil o "Dia do Concierge", profissional conhecido no setor hoteleiro de alto padrão e que agora começa a ser visto também em hospitais, condomínios e até operadoras de cartão de crédito. Cabe a este profissional resolver, com prontidão e elegância, todas as demandas de um cliente; no caso dos hotéis, seja encomendando milhares de pétalas para decorar um quarto numa data especial, seja providenciando serviços odontológicos às duas da manhã para um hóspede aflito. Orientar o cliente sobre as atrações da cidade e prove-lo com toda a logística necessária a fim de que ele desfrute ao máximo sua estadia também está entre as múltiplas funções do Concierge. A data foi escolhida por coincidir com o dia de São Pedro, que pela tradição, é aquele que tem as chaves do céu. Pois os Concierges de alguns hotéis em São Paulo também ostentam um par de chaves douradas na lapela,simbolicamente, as chaves da cidade. Pelo menos, os que são reconhecidos pela excelência de seu trabalho, de acordo com os rígidos critérios da associação internacional Les Clef's d'Or. Em São Paulo, apenas 8 profissionais têm este reconhecimento oficial da entidade. A gerente-assistente de serviço ao hóspede do Sheraton WTC, Aline Passucci, é uma delas. No último sábado, 23 de junho, Aline abriu o 19o Encontro de Concierges em São Paulo, organizado pela "Lugadeli Concierge". O evento reuniu cerca de 25 profissionais de todo o Estado, provenientes das mais diversas áreas abrangidas pela profissão: hospitalar, hoteleira e de condomínios. "O objetivo dos nossos encontros, que acontecem mensalmente, é propagar a informação correta sobre o atendimento e a profissão de Concierge, promovendo a integração destes profissionais e a troca de experiências", explica Luciana Garcia Lima, diretora da Lugadeli. No Brasil, a Les Clef's d'Or só reconhece o título e concede o broche dourado das chaves aos profissionais atuantes no ramo hoteleiro. Nos EUA, a associação dos concierges é mais abrangente. "A atividade é relativamente nova no Brasil, não chega a ter 20 anos. Com estes encontros queremos mostrar as possibilidades de atuação desse profissional, conhecendo o mercado e nivelando-o, para que todos tenham a mesma elegância no atendimento, que é o que caracteriza o Concierge" - completa Luciana. Segundo Aline Passucci, o Concierge, dentro da hotelaria, por exemplo, é um profissional que precisa ter inúmeras habilidades: paciência, pensamento crítico, flexibilidade, competência organizacional e administrativa e capacidade de realizar tarefas múltiplas. Jogo de cintura para transitar entre os vários níveis hierárquicos também é imprescindível. Enfim, uma mistura de dom e técnica, exercidos com elegância e delicadeza.
Por isso, ser Concierge é uma arte. A maioria dos profissionais atuantes no mercado têm formação na área da Hotelaria ou de Relações Internacionais, mas há também cursos técnicos e empresas especializadas que dão o direcionamento para quem quer ingressar na profissão. Se você tem interesse em conhecer mais sobre Conciergerie e os próximos encontros, acesse "Lugadeli Concierge".

Nenhum comentário:

Por um olhar mais atento aos pequenos detalhes da vida